Branqueamento Dentário

Em princípio, qualquer pessoa com um bom estado de saúde oral pode efetuar um branqueamento dentário. Pacientes com problemas dentários, lesões de cárie, desgastes, sensibilidade dentária e outros podem necessitar de tratamentos prévios, daí a importância do branqueamento dentário ser realizado pelo seu médico dentista.

A seleção da técnica a ser usada depende essencialmente das condições clínicas de cada paciente, das suas expectativas e da rapidez de resultados de tratamento pretendidas. O seu médico dentista aconselha-o quanto à técnica mais correta e adequada para si, sempre com base na melhor relação eficácia/segurança.

OS BRANQUEAMENTOS DENTÁRIOS SÃO EFICAZES E SEGUROS?

Embora existam disponíveis no mercado (supermercados, farmácias e TV-Shops) produtos de venda livre publicitados como “branqueadores”, a OMD destaca que a segurança na utilização profissional de produtos branqueadores dentários está salvaguardada com a supervisão do médico dentista.

Os produtos de venda livre apresentam diferenças substanciais entre si e aqueles de aplicação por profissional, pelo que não permitem com segurança afirmar da sua eficácia. Sendo certo que qualquer risco para a saúde oral dos utentes será prevenido, apenas e só, se optar pela supervisão do seu médico dentista.

QUE EFEITOS SECUNDÁRIOS PODEM SURGIR?

De um modo geral os efeitos secundários, quer a nível dentário quer a nível das gengivas, estão relacionados com a concentração dos produtos, a forma como são aplicados e as condições específicas de cada paciente. Os mais frequentes são a sensibilidade dentária e algum desconforto gengival que usualmente desaparece com a interrupção do tratamento. Contudo, a aplicação incorreta dos produtos químicos de maior concentração, com ou sem luzes acessórias, pode provocar lesões mais graves e duradouras.

O seu médico dentista pode prevenir e controlar clinicamente estas condiçõés. Utentes que possuam restaurações e próteses dentárias poderão ter a necessidade de substituir ou reparar as mesmas no final do tratamento de branqueamento, de forma a harmonizar a cor e a integridade das restaurações dentárias, na medida em que os produtos de branqueamento não atuam na cor dos materiais que as compõem.

QUEM PODE REALIZAR BRANQUEAMENTOS DENTÁRIOS?

O branqueamento dentário profissional é um ato médico que só pode ser realizado por profissionais de saúde oral. Esta restrição é justificada pelos riscos relacionados com a natureza dos produtos branqueadores utilizados. O branqueamento dentário implica a realização de um exame clínico prévio, a aplicação de medidas preventivas operatórias aquando da aplicação ou uso dos produtos de branqueamento pelo utente, para evitar complicações orais e criar condições a tornar o resultado mais eficaz.

As orientações e aplicações pelo médico dentista evitam tempos excessivos ou exposições desnecessárias aos produtos de branqueamento, enquanto tratamento. Assim, fica assegurada a ausência de fatores de risco, ou outras doenças orais que não aconselham a realização do branqueamento. Nos produtos de venda livre não se pode garantir que a aplicação por terceiros na boca do utente cumpre com todas as regras de higiene e segurança.

QUE MATERIAIS E TÉCNICAS DE BRANQUEAMENTO PODEM SER USADOS?

Nos tratamentos supervisionados pelo médico dentista, na aplicação do material branqueador em casa (“tratamento ambulatório”), utilizam-se geralmente os produtos de menor concentração (o peróxido de carbamida a 10% mas que pode ir até 16%), por períodos variáveis (desde 1 a 8 horas diárias), durante vários dias ou semanas. No caso da aplicação no consultório, pode contemplar-se a utilização de peróxido de carbamida até 16% e/ou peróxido de hidrogénio até 6%. Estes produtos só podem ser aplicados por profissionais sob condições perfeitamente controladas.